3 breves ebooks para conhecer o feminismo

fem

Post compartilhado com o Literatortura

Em meio aos protestos contra a PL5069 e contra o senhor Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, me vi diante de um forte movimento: o feminismo. Até pouco tempo atrás não me declararia feminista, mas descobri que sou e que muitas pessoas que conheço também são e nem sabiam.

Por isso, compartilho três breves ebooks que tratam do assunto:

1- Sejamos todos feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie (Selo Breve Companhia, Companhia das Letras, 46 páginas)

sejamos

Palestra do TEDx Euston adaptada para livro (impresso e ebook) pela Companhia das Letras no Brasil. Nele, a escritora nigeriana discute o que significa ser feminista no século XXI e porquê ele é essencial na libertação de homens e mulheres.

Chimamanda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem, começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens.

Sabe Flawless da Beyoncé? Uma parte do discurso é usado na música. Assiste aí:

Leia.

2- Meu Corpo não é Seu – Desvendando a violência contra a mulher, de Coletivo Think Olga (Selo Breve Companhia, da Companhia das Letras, 32 páginas)

meucorpo

Conheci o coletivo Think Olga quando estavam divulgando a campanha Chega de Fiu Fiu, que mapeou assédios sofridos por mulheres em todo o Brasil. Você pode saber mais aqui.

Após a campanha, o coletivo continuou tomando ações que empoderam mulheres. Uma delas foi o lançamento deste ebook que narra histórias de violência e abusos contra mulheres ao mesmo tempo que chama a atenção para dados estatísticos, como os divulgados em abril de 2014, pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). 65% dos brasileiros acreditava que mulheres usando roupas reveladoras mereciam ser atacadas. O número alarmante seria corrigido depois pelo instituto de pesquisa, caindo para 26% – mas essa porcentagem não deixa de ser expressiva e prova o quão forte ainda é a mentalidade que responsabiliza a vítima pelo crime que sofreu.

O coletivo Think Olga foi, recentemente, responsável pela campanha #PrimeiroAssédio que tomou conta das redes sociais com várias mulheres compartilhando quando tinham sofrido seu primeiro assédio.

olga

Leia.

 3- Lugar de Mulher é Onde Ela Quiser, de Ana Paula Barbi, Clara Averbuck e Mari Messias (Independente, 90 páginas)

lugar

Este já é um ebook um pouco diferente. O site Lugar de Mulher foi criado em 2014 pelas autoras, após perceberem uma necessidade de abordar temas que realmente interessam às mulheres. A sinopse diz “Chega de sites de mulher com dicas de como secar a barriga, como se vestir pra agradar homem, como decorar sua casa com itens caríssimos, como ser poderosa em 12 lições. Chega de ‘moda’ que não cabe na maioria de nós enfiada goela abaixo. Chega de regras determinando como uma mulher deve ser, se portar, falar, existir”. É uma coletânea comemorativa com textos publicados ao longo do primeiro ano de existência do site.

Leia.

 E respeita as mina!

 Revisão de Juliana Skalski Foto de destaque: Mídia Ninja

SOBRE O AUTOR