Emma Watson cria um clube do livro feminista (e você pode participar!)

Emma Watson at the HeForShe launch

Post compartilhado com o Literatortura

Com informações de Galileu e Brasil Post.

Emma Watson nos deu mais uma razão para amá-la. Como se não bastasse ser nossa eterna Hermione Granger, de “Harry Potter”, ter diversos trabalhos de sucesso na carreira, como “As Vantagens de Ser Invisível”, e ser porta-voz da campanha pela igualdade de gênero “He For She”, da Organização das Nações Unidas, a atriz britânica criou agora um clube do livro feminista.

Segundo a atriz, ela começou a ler livros e ensaios sobre igualdade a partir de seu trabalho com a ONU, e decidiu criar um clube do livro feminista para compartilhar o que está aprendendo e ouvir outras opiniões. Na última quarta-feira (6), ela pediu no Twitter ajuda para escolher o nome do clube. Após várias sugestões de fãs, Watson escolheu o nome “Our Shared Shelf” (Nossa prateleira compartilhada, em tradução livre) e criou um grupo de discussões na rede social de leitura  Goodreads, moderado por ela própria.

A cada mês Emma escolherá um livro para o clube, e na última semana abrirá um tópico para debate sobre ele. A primeira leitura será “My Life on the Road” (Minha Vida na Estrada), da jornalista e ativista Gloria Steinem.

O clube já tem mais de 40 mil membros. Já há um post sobre como ter o livro escolhido do mês caso você não possa pagar por ele. Os leitores estão organizando um esquema de trocas. O grupo também está aberto para outros tópicos de conversa – alguns dos criados até agora envolvem a definição de feminismo e apresentações gerais dos participantes.

Para participar do “Our Shared Shelf” é preciso fazer uma conta no Goodreads.

SOBRE O AUTOR

Juliana Skalski, 25 anos, paranaense do interior, é médica veterinária formada pela UFPR e cursa mestrado em Ciências Veterinárias na mesma instituição. Gosta do que faz, mas gosta ainda mais de ler. Aliás, gosta de tantas coisas que nem sabe se está no caminho certo. Talvez um dia largue tudo para cursar História. Ou tocar piano. Ou escrever.