60’s resumidos em faixas de protesto

11270116_959924234067574_911320860_n

Apaixonada por ela desde meus dez anos, a década de 1960 sempre dá um jeitinho de aparecer para me conquistar um pouco mais.

Os “Anos Incríveis” tem a marca do despertar furioso do ser social – na política, na moda, na música… A liberdade batia suas asas. Foi lançada a primeira pílula anticoncepcional, houve a revolução sexual, estrelava Marilyn Monroe, o rock’n roll seduzia o mundo… Época de convulsão social e apelos a mudanças nos Estados Unidos e em grande parte do mundo ocidental.

Para comemorar os movimentos contraculturais populares da década, foram escolhidas algumas placas de protesto deste tempo. É claro, sem deixar de lado as reacionárias, protagonistas desta peça.

Perceba os pontos de vista conservadores – eles ilustram alguns dos pensamentos comuns, dos quais muitas pessoas progressistas se sentiram tão fartas, a ponto de pensar que drogas e música alta eram uma resposta perfeitamente razoável… (Hoje, cinquenta anos depois, convenhamos que tenha sido mesmo!).

 Confira:

(Bombardear pela paz é o mesmo que (…) para a virgindade)

(Ácido: 1 dólar.)

(Nós não vamos lutar outra guerra de ricos!!!)

(Protesto a favor das Mini-saias)

(Beatlemania: “Nós amamos os Beatles!”)

(Pela igualdade de direitos aos homossexuais)

(Comunistas podem comer aqui, por que não podemos?
“Esta loja integra seu dinheiro, e segrega você” -
“Por favor não compre nesta loja”)

(Contra o Racismo – Vietnã)

(A favor da segregação racial)

(“Julguem as mulheres como pessoas e não como esposas”)

(“Veteranos Vietnamitas contra a guerra!”)

(Contra o Miss América 1968 – contra o racismo e o machismo que aconteciam no concurso, “Bem-vindos ao Miss América: Leilão de gado”)

Fonte:

http://www.whizzpast.com/power-people-signs-sum-sixties/

SOBRE O AUTOR

Com a loucura rock'n roll percorrendo as veias, é louca dos gatos e mergulha com facilidade nos universos políticos-sociais. Confunde coração com escudo. Gosta do pé no chão e a cabeça nas nuvens - sagitariana convicta.