Look do Dia – É o que tem pra hoje

Acordo, vou a aula, e para variar perco o horário do almoço. Tudo bem, vou comer em casa. Chego, penso: Voilá enfrentar novamente aquela cozinha concorrida. Entre minhas coisas noto que o que tenho para comer é macarrão, como sempre.

Entre panelas, uma pia extremamente concorrida, um molho para fazer, me pego pensando: é o que tem pra hoje, não reclama que ao menos o que comer você tem.

Então, daí surgiu uma questão que persegue muitos de nós, intercambistas, ‘É o que tem pra hoje’, geralmente na parte de alimentação, a verdade é que há sim como matar a fome das formas mais semelhantes possíveis com o nosso país de origem, se você quiser, consegue fazer pratos típicos, ou pelo menos chegar muito perto do que são – infelizmente não aqui na residência-.

Infelizmente tempo, dinheiro, falta de panelas, de cozinha adequada e paciência são os fatores de uma equação que move apenas todo este desejo, cozinhar; então você acaba preferindo partir para as formas mais práticas e baratas possíveis.

Já jogamos uma panela de arroz fora, já queimamos muitas coisas, aprendemos que muitas vezes mais vale pagar um pouquinho mais caro por aquele pacote de cebola picada do que comprar cebola, descascar e picar. Enfim, são maneiras e maneiras de se virar mesmo com a grana e tempo contados, essa é a verdade.

E quando a fome chega, aquele biscoito de água e sal pode não ser dos melhores, os chás podem ser completamente diferentes de refrigerantes e sucos que temos no Brasil, o pão pode ser bem mais duro e bem mais branco…  Algumas das bilhões de diferenças que encontramos por aqui, mas todas matam nossa fome, e é geralmente o que ‘temos pra hoje”.

Pensando bem, isso se aplica não só ao meio alimentar, aqui vejo algumas pessoas dizendo sempre que não gostam da cidade, falando muito bem de onde vieram e são loucos para voltar pra casa.

Uns comparam a nossa simples cidadezinha portuguesa com metrópoles brasileiras, outros dizem mal e simplesmente se trancam nos quartos com raiva de aqui estarem.

Bom, você não escolheu estar onde está atoa, por algum motivo foi parar aí, então aproveite o que tem porque a verdade é o que o tempo passa, e passa rápido. Por mais que hão poucas coisas para fazer, se distrair, elas existem, estão aí, aproveite algo delas. Pois isso é o que você tem por mais algum tempo.

SOBRE O AUTOR

"E aqueles que estavam dançando, foram julgados insanos, por aqueles que não podiam escutar a música." Mineira de nascença, kadercista e nietzschiana por opção, artista e escritora por amor.