Look do Dia – Do cu do Brasil pro cu da Europa

Fiquei um bom tempo sem publicar nada, e escrever também, confesso. Procrastinei lindamente alguns dias, tudo por um motivo: Estou na Europa meus caros!

Explicar-vos-ei, selecionada fui pro intercâmbio, e vim parar aqui.

Onde estou? Há quanto tempo? Como é aí? Estás a adaptar-se? Como é a comida, língua, as pessoas? E por aí milhares de questões surgem. Devo dizer que não, este não era o local com o qual sempre quis, sonhei e blá blá blá.

Desde sempre, meu desejo foi Europa, mais expecificamente a França (o sul por assim dizer). Porém, quando me candidatei não havia como opção o lindo destino francês, apenas Portugal, Chile e Peru – se não me engano -.

Minha cidade destino, Covilhã, é digna de se dizer paraíso para aqueles que como eu gostam de um charmoso interior com, se possível, um toque de “cidade grande”. Cá no pé da Serra da Estrela (a maior altitude portuguesa), localizada na região de Castelo Branco,  são cerca de 30 mil habitantes (de acordo com a senhora wikipedia), a cidade vive em função da universidade, e creio que nos meses de inverno, de turismo também. Pois enquanto bate aquele solão no verão, e temos a piscina municipal ao nosso dispor, no inverno é pura neve; e, segundo algumas fontes, há até uma estação de esqui.

Ao contrário do que a maioria pensa, eu inclusive pensava, você não vem a Portugal falar português apenas, ou ‘brasileiro’ como dizem os tugas, por ser uma cidade universitária e recheada de diversas nacionalidades, Espanhóis, Turcos, Sírios, Italianos, Poloneses, Africanos, e claro brasileiros, a língua mais falada, obviamente depois do português, é o inglês. É assim que nos entendemos, ou tentamos, e nos comunicamos nesse lugarzinho lindo. Dentro e fora das salas de aula, das residências universitárias (alojamentos), dos bares, nas ruas, vilarejos, museus e eticeteras.

Adaptar-se a Covilhã não é tão simples e fácil assim, o fuso horário se estende apenas por 4h a mais do Brasil, mas a vida universitária, agitada durante a semana, nos consome muito. Desde aulas, a festas e lugares novos pra conhecer, é tão pouco chão para tanta coisa! Chega a ser alucinante e surreal estar aqui.

8f8524ba97b7a2d3bc67801d4774c8ad

Vim com o propósito de escrever mais e melhor, criar um vlog, buscar crescimento e muiiiitaaa maturidade (sério), tentar fazer meu nome internacionalmente e engordar um “cadim” – sempre há esperanças né? Kk -.

Esta foi apenas uma introdução básica do meu primeiro mês no cu da Europa, hão muitas novidades, coisas a dizer, e farei o Look do dia, a partir de então, pautado neste intercâbio/interférias. Espero que gostem, curtem, compartilhem e sigam; pois além da coluna, há também o vlog, como citado acima. Endereço, lançamento, nome? Já já contarei vos.

 

No bom e belo português lusitano: Beijinho beijinhos, botem gosto, aproveitem o que se segue a baixo e até já!

Um achado da internet, caso queiram saber um ‘cadim’ mais sobre o que é a serra da estrela, clique aqui ;)

SOBRE O AUTOR

"E aqueles que estavam dançando, foram julgados insanos, por aqueles que não podiam escutar a música." Mineira de nascença, kadercista e nietzschiana por opção, artista e escritora por amor.